facebooklikebutton.co

Costa Rica um paraíso

Costa Rica um dos países mais gay friendly das Américas! Leia Mais >>>

Gaycast #!

DQOGG também em áudio! Leia Mais >>>

 

Stonewall e o Dia do Orgulho Gay

Stonewall e sua História

stonewall orgulho gay

Todos os anos vejo muitos gays falando sobre a Parada Gay, uns são contra e metem o pau na maior manifestação do mundo enquanto outros a adoram, mas talvez ambos desconheçam como tudo se iniciou, e é sobre isso que o documentário A Revolta de Stonewall fala.

Em 1969 a homossexualidade ainda era vista como doença, distúrbio mental ou perversão sexual. Quantos e quantos gays e lésbicas eram tratados em clínicas psiquiátricas a base de choques? Esterilizados e castrados, submetidos a lobotomia? Outros tomavam remédios tão fortes que davam a sensação de afogamento. Isso era a Cura Gay.

stonewall orgulho gay

Tudo começou no dia 28 de junho de 1969 no Stonewall InnGreenwich Village em Nova York. O bar era famoso entre gays e lésbicas da época. Só que nem tudo é alegria, purpurina e corpos sarados no universo gay.

Uma violenta batida policial aconteceu no local e gays e lésbicas foram tratados como lixo, espancados e presos. Cansados das constantes batidas policiais os frequentadores não deixaram impune a violência, e enfrentaram a força policial. Relatos contam que voavam cadeiras, lixeiras pegando fogo, garrafas, pedras e tudo mais que a multidão via na frente.

Outros gays, ao saberem da revolta tomaram as ruas e considera-se a primeira resistência pública da história dos homossexuais. Foi através dessa manifestação que LGBTs do mundo todo se organizam todos os anos para tomar as principais ruas de suas cidades, para vivenciar suas vidas sem máscaras e lutar por direitos que são negados.

Já se passaram 48 anos desde a Revolta de Stonewall, e muitos não sabem da história. É importante saber o que acontecia na época, porque foi através dela que as coisas mudaram. Não apenas nos EUA, mas no mundo todo!

Stonewall e a Parada Gay

Quando eu digo que VOU A PARADA GAY alguns gays falam sobre o Carnaval que ela se tornou, mas ao menos sabem os motivos dela existir? Não sou contra a música e a alegria, essas são qualidades que nós gays temos e não seria uma manifestação gay se não houvesse uma drag queen sorrindo e mostrando suas roupas magníficas, ou casais LGBTs andando de mão dadas na Avenida Paulista sem medo de ser agredidos com lâmpadas, ou até mesmo as músicas que nos alegram todos os fins de semana quando vamos para nossos baladas.

Sinceramente não acho que mais de 50% dos frequentadores saibam os reais motivos sobre o que é a Parada do ORGULHO Gay, mas espero contribuir pelo menos um pouco com aqueles que leem o blog.

Parada Gay é manifestação, alegria de viver, dançar e se divertir, mas nunca esquecendo que é uma [das tantas] formas de se manifestar e tomar as ruas da maior cidade do Brasil.

Revolta de Stonewall - Parada gay

Lutarei por meus direitos iguais sorrindo, dançando, abraçando meus amigos, olhando milhões de pessoas que como eu sairão as ruas nesse domingo.

Achei um documentário bem interessante sobre o assunto. Acho importante tirar um tempinho para assisti-lo. Dá o play! 

Imagem de Amostra do You Tube

Leia também:

99Cores – Informação e muito debate!

99Cores – Inclusão LGBT na 99 Taxi

99Cores, o primeiro evento da startup de mobilidade 99 Taxis, promoverá um grande debate entre seus colaboradores e influenciadores e ativistas LGBTs nessa semana pré parada.

A ideia do evento partiu do próprios colaboradores do app. O 99 Taxis cresce a cada dia, com promoções e muito respeito para seus clientes.

O intuito do 99Cores é entender mais sobre o universo LGBT, o significado de cada letra e muito mais. Informação é chave para o entendimento!

Quer época melhor do que informar os diversos motoristas da plataforma sobre a diversidade? Aproveitar esse momento de exposição que a Parada Gay agrega e informar uma boa parcela da sociedade. Ótima iniciativa dos motoristas!

Em um mundo cada vez mais diverso, entender e ter empatia com todos é primordial para um trabalho de qualidade. Respeitar é acima de tudo entender e nada melhor do que debater com gente bacana como esses convidados do 99Cores:

Daniela  Andrade: analista de sistemas, criadora do primeiro portal de empregabilidade trans e uma ativista assídua pelos direitos transexuais no Brasil. Site: Transempregos

Letizia Patriarca: antropóloga pela USP. Uma de suas áreas de estudo é a de gênero e sexualidade.

Pedro Tavares: diretor de Arte na ONErpm, Produtor Cultural do coletivo Manas e Monas e Professor Voluntário de canto para iniciantes na Casa 1. Tumblr: Manas e Monas

Além dos eventos, o 99Cores trabalha com cartilhas e informes que envolvam a temática LGBT‘, aponta Renan Simões Geremias, relações públicas da 99. ‘Com esse material em mãos, podemos orientar outras áreas da empresa, como Marketing, a trabalhar ações para o público LGBT da forma mais inclusiva possível.’

Que o evento seja proveitoso para todos os motorista e que possam propagar o respeito a todos.

Leia também:

Campo de concentração gay na Chechênia

Campo de concentração gay: Tristeza

Cerca de 100 gays estão presos em um campo de concentração gay na Chechênia, de acordo com informações do site Metro. A Chechênia é uma das repúblicas que compõem a Rússia e é predominantemente muçulmana.

Segundo diversos grupos ativistas, esse é o primeiro campo de concentração gay desde a época de Hitler e o Holocausto. Pelo que dizem, o campo é utilizado para forçar a população gay a deixar a região.

Esse histórico russo não começou de hoje, mas desde 2013 quando revogou uma série de direitos gays no país, e piorou ainda mais com as repressões após um pedido para a Parada Gay na capital de Grozy.

Grupos de Direitos LGBTs afirmam que aconteceram diversos assassinatos na região.

Qualquer referência a tradições que justificam esse tipo de ação é amoral e criminosa‘.

Os ativistas protestam e alegam que nenhuma norma ou tradição nacionalista ou religiosa justifica qualquer sequestro ou assassinato de seres humanos.

As pessoas da região têm medo de falar sobre os assassinatos e o clima homofóbico que domina a região. Até porque é uma cultura de práticas violentas contras gays, lésbicas, bissexuais e trans, por isso é tão difícil checar as informações desse campo de concentração gay.

O que tem se feito é clamar para que as autoridades russas tomem as medidas possíveis para investigar esse caso.

Razman Kadyrov, íder da Chechênia, é próximo a Vladmir Putin e ajudou a implantar as leis muçulmanas na região.

Claro que a Chechênia negaria as acusações e Razman ainda diz que: ‘Se homossexuais existissem na Chechênia, não haveria necessidade de leis punitivas porque os próprios parentes ficariam responsáveis por mandá-los a um lugar de onde não retornariam‘, informou seu porta-voz. Um  verdadeiro absurdo!

Denúncias também foram publicadas no Huffington Post. Segundo o Huffington Post, gays estariam sendo presos a partir de seus perfis em aplicativos e redes sociais. Já o jornal The Washington Post publicou um editorial criticando Razman Kadyrov em relação à população LGBT.

E tristemente a história se repete:

campo de concentração gay

A arte de conquistar ou de me conquistar

conquistar

A arte de conquistar alguém

[Leia ouvindo: Christina Perri – A thousand year]

Alguns são conquistados por músculos, então horas de academia, alimentação regrada e muito suor conquistam esses caras. Outros são conquistados por tudo aquilo que o dinheiro pode proporcionar: viagens, restaurantes chiques, presentes caros… Não sou conquistado por nada disso!

Pode me chamar de brega, de antiquado, até de carente se preferir, isso não muda quem sou, o que sinto ou como sinto. Muito menos muda o que me atrai em um homem, porque sou conquistado por aquilo que não acaba, inteligência, carinho, companheirismo, valores…

Sou conquistado por uma série de atributos que poucos têm nos dias de hoje: valores. Seja uma olhar verdadeiro, um sorriso de lado quando conto alguma piada tosca, um toque de pernas por baixo da mesa, um abraço sincero e aconchegante ao final da noite. Isso tudo me conquista… e excita.

Chega o momento que quero cuidar dessa pessoa, ajudar a superar seus problemas, seus dilemas, suas neuroses. Quero deitar ao seu lado, abraçá-lo e fazer carinho a noite inteira. Sentir sua pele quente tocando a minha, o calor, amor, seu calor. Massagear seu corpo depois de um dia de trabalho, massagear seus pés depois da correria do dia a dia, massagear sua alma com beijos e amor.

As vezes o problema não está em conquistar, mas em ser conquistado por alguém. Até que ponto você já desistiu e se contentou em ser apenas mais uma noite para saciar a vontade de sexo de alguém? Ou se contentou em ter o sobrenome Hornet, Grindr ou Tinder, esquecido, no celular de alguém? Você é muito mais do que isso! Acredite!

Ok, você, assim como eu, já passou por diversos relacionamentos que não deram certo, muita coisa rolou e ainda rolará em sua vida, mas vale a pena definir seu caminho por causa de más experiências? Não é melhor aprender com essas experiências e seguir em frente? A vida continua e não espera nenhum retardatário no meio do caminho.

Sabe aquela máxima: Trate o próximo como gostaria de ser tratado? Inicie a mudança por você, que as pessoas a sua volta o acompanharão nessa mudança e, dentro de pouco tempo você verá como conquistar e ser conquistado é uma questão apenas de encontrar o cara certo.

Caio Lima: Por que não te interessa?

Caio Lima: O vídeo que movimentou o dia

Caio Lima, o assunto do dia da internet. Agora me responda: Por que as pessoas se interessam tanto na vida alheia? Principalmente na vida sexual alheia?

Ninguém sabe quem é esse Caio Lima. Uns dizem que é um youtubber famosinho, outros que ele é cantor gospel, mas para quem assiste o vídeo, não vê sequer um rosto. Diga-se de passagem o vídeo do Caio Lima não tem nada demais, apenas dois homens transando. Nada que você não faça entre quatro paredes com algum cara.

O que me deixou mais passado foi o sexo sem camisinha do que qualquer outra coisa. Sim, assisti o vídeo do Caio Lima, enviado por Whatsapp, e nem sabia do que se tratava. Explicaram que esse é o assunto do dia nesse mundão da internet.

Parei para pensar um pouco sobre o assunto, tentando compreender algumas coisas e o que me deixa mais incrédulo é essa tal fascinação que as pessoas tem em cuidar da vida cu dos outros! Ainda mais nós gays, que temos a patrulha do cu alheio que se chamam IGREJAS! Já bastam elas para cuidar da vida dos outros, por que nós devemos cuidar também?

Coloque a mão na consciência e reflita em um caso hipotético: Imagina se fosse com você isso tudo? Pense se você fosse o tal Caio Lima Who da vez, com um vídeo seu vazado na internet, compartilhado por milhares de pessoas. Como você se sentiria?

Não importa quem é Caio Lima ou com quem ele transou, ou até mesmo se transou com o sem camisinha. A vida é dele e diz respeito apenas a ele! Esse tipo de problema só acontece porque há compartilhamentos do vídeo. Imagine se você com você ou um amigo seu, como você faria?

Reflita um pouco antes de compartilhar conteúdo assim. As tochas foram acesas para o Caio Lima [?] e amanhã podem ser para você!

Leia também:

Casa 1 – Mudando muitas vidas

Casa 1 – Centro Cultural e Acolhimento para LGBTs

Em 2015 surgiu a Casa 1, quando o jornalista Iran Giusti abriu as portas do seu apartamento para receber LGBTs expulsos de suas residências. Porém, foram muitos pedidos de acolhimento e a percepção de que o problema é muito maior e recorrente do que se imaginava.

A partir daí veio a ideia de buscar uma casa para funcionar como um espaço de acolhimento. Mas acolher é mais do que oferecer um teto, é também trazer oportunidades e socialização para a vida dessas pessoas. Por isso a Casa 1 será também um centro cultural e um espaço de palestras, cursos e worshops, tanto para os moradores quanto para o público em geral.

A casa estará localizada na região central de São Paulo, primeiro pela facilidade em mobilidade dos moradores da casa e pelo acesso ao público que se interessar pelas atividades do projeto. O centro da cidade também necessita de atenção, e a ideia é que nossa programação contemple também os moradores locais.

Mas para que tudo aconteça a Casa 1 precisamos da sua ajuda. Esse projeto visa conseguir o valor do aluguel desse espaço. Sim, é apenas o valor do imóvel pelo período de um ano. Será uma casa autossustentável em que as próprias atividades custearão a manutenção.

A escolha desse financiamento coletivo se deu não só por questões burocráticas, mas também porque é a forma que acreditam que a nossa sociedade pode funcionar: coletivamente. Entendemos que se todo mundo fizer a sua parte, certamente juntos conseguiremos mudar muitas vidas.

casa 1

O projeto conta com duas metas, sendo a primeira delas TUDO OU NADA, ou seja, se a Casa 1 não atingir o valor que precisamos todas as contribuições vão ser devolvidas para os doadores e o projeto não acontecerá.

No nosso caso, a primeira meta R$ 83.952,00, o valor para o aluguel do espaço que vai sediar a Casa 1 que está detalhadinho lá embaixo.

Mas por que tudo ou nada? Simples, o projeto é totalmente voluntário, e nenhuma das pessoas envolvidas recebe pelo trabalho. Também não tem nenhum tipo de patrocínio ou apoio político, então sem esse valor não conseguem transformar a Casa 1 no que ela precisa ser.

casa 1

E já que estão se esforçando tanto para fazer esse projeto acontecer, por que não pensar em uma meta grandiosa, onde conseguiríam realizar muitas coisas incríveis?

Foi pensando nisso que chegaram na meta 2, a arrecadação de R$153.120, 00.

Essa quantia é a ideal para que consigamo atender o dobro de pessoas que precisam de acolhimento e também a realização de atividades mais elaboradas. Ela não é uma meta Tudo ou Nada, mas pra gente é como se fosse, afinal, esse é um projeto que pretende lidar com vidas, então, atingir a segunda meta implica ajudar muito mais pessoas.

Quer saber como ajudar? Só clicar nesse link que lá tem todas as recompensas para quem ajuda essa grande causa da Casa 1.

Imagem de Amostra do You Tube

Workshop de BDSM: Participe!

Workshop de BDSM: Introdução ao universo do fetiche

workshop de bdsm gays gostam

Você sabe o que é BDSM? Não é nada além de um acrônimo de Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo, mas como será que são na verdade essas práticas?

Para aprender um pouco sobre BDSM Nefertiti Ishtar comandará um Workshop de BDSM, uma introdução ao fetiche, e será realizado no Dominatrix Augusta amanhã, dia 15 de outubro.

O evento abordará desde questões de conceito e liturgia, como o significado das siglas BDSM, SSC, D/s e afins, características de dominadores e submissos e switcher [os versáteis na prática de BDSM], bem como demonstrações e instruções básicas de diversas técnicas [asfixia, podolatria, privação de sentidos, spanking, shibari…).

Também serão esclarecidas temáticas do mundo BDSM, como a diferença entre fetiche e sadomasoquismo, o que ocorre em uma primeira sessão e como se aproximar de um dominador, além de explicações sobre práticas, como os principais cuidados físicos e psicológicos, práticas mais indicadas para quem está começando e definição de dropspace e dubspace.

São quatro horas de workshop de BDSM, com vagas limitadas.

workshop de bdsm gays gostam

Workshop de BDSM
| ONDE | Dominatrix Augusta – Rua Fernando de Albuquerque, 171 – Bela Vista
| QUANDO | 15/10 – 17h
| QUANTO | R$ 150 individual – R$ 250 casal
| INSCRIÇÕESaugustadominatrix@gmail.com.
| O EVENTO | Link do Evento

Leia também:

Estatuto da Família agora é apenas união entre homem e mulher

Estatuto da Família: Um retrocesso sem tamanho

Para quem pensava que as propostas de mudanças iriam passar na luta por direitos iguais e que famílias homoparentais também são dignas de respeito e direitos, se enganou, foi aprovado ontem o Estatuto da Família Tradicional e casais gays não pertencem a ele.

O texto original foi mantido e ressalta: ‘a entidade familiar formada a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou de união estável, e a comunidade formada por qualquer dos pais e seus filhos.

Nada mais discriminatório do que definir entidade familiar apenas como famílias héteros. Isso aumenta o preconceito que sofremos diariamente e elimina na cerne mais importante da sociedade a pluralidade do amor. Quem pode definir o amor? Esses dePUTAdos chinfrins e seus dogmas religiosos? Não! Não devemos aceitar isso.

O texto da constituição estabelece que a família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado. Em miúdos qualquer família além do que o estatuto da família define não recebe proteção nenhuma do Estado.

estatuto da familia

Nesse jogo ainda entram tantos outros tipos de família. Famílias compostas por mães e pais solteiros estão fora. Netos que são criados pelos avós estão fora. Irmãos que moram juntos estão fora. Sobrinhos que mora com as tias estão fora. E tantas outras nuances que existem nesse mundo estão fora da família tradicional brasileira [sic].

Quando você pensa que as coisas estão caminhando para o melhor, mesmo que as poucos, toma um grande choque com os acontecimentos, mas também não podemos esperar muito de nossa classe política, ainda mais depois de tantas reviravoltas.

Em um governo onde mulheres, negros e homossexuais não são representados, claro que os fundamentalistas e retrógrados sentem que podem realizar todas as suas peripécias.

São tempos sombrios, muito sombrios por sinal! Podem esperar que vem mais chumbo para a comunidade LGBT Brasileira. Esse Estatuto da Família Tradicional brasileira foi o primeiro golpe, esperem os próximos.

Estatuto da Família Tradicional, um câncer no constituição brasileira.

Seja um dos testadores de camisinhas Prudence

Testadores de Camisinhas Prudence

A partir de ontem temos no ar a maior plataforma online de contos eróticos do país, a Testadores de Camisinhas, da marca Prudence.

Essa ação tem como principal objetivo incentivar o sexo seguro e mostrar que ele também é divertido.

A plataforma agregará diversas histórias e estórias sobre sexo. Pode ser curiosa, inédita, experimental e até mesmo engraçada [como o dia que eu caí da cama durante o sexo, por exemplo].

Para ser um dos Testadores de Camisinha Prudence tem que ter mais de 18 anos, acessar o site da campanha www.testadoresdecamisinhas.com.br, selecionar qual preservativo Prudence foi usado, ou usaria em caso de estórias e depois escolher qual a categoria: Criatividade a mil, Grupal, Lugar inusitado, Pegando geral e Performance.

Ao todo a Prudence elegerá 100 Testadores de Camisinhas. Dez deles serão os conselheiros, influenciadores que já mandam muito bem e vão incentivar a prática do sexo seguro.

E os outros 90 participantes? Os outros 90 serão os que enviarem os melhores contos eróticos durante o período da campanha, 5 de setembro a 14 de outubro.

Ok, que bacana, mas o que eu ganho com isso? O prêmio para os ganhadores será um kit completo com os produtos da Prudence, entre preservativos, géis lubrificantes e sextoys. Isso significa que as 90 pessoas que escreverem os melhores contos terão camisinhas para um ano inteiro!

Essa ação é um verdadeiro sucesso da Prudence, que atinge bem o público e conscientiza para o sexo seguro. A ideia da campanha não é apenas promover a marca, mas sim aumentar a interação do público com os produtos. Além disso disseminar sempre que o sexo seguro pode e deve ser divertido.

Quanto mais ativo o usuário for na plataforma, mais reconhecimento ele terá, e mais chances de ser um dos 90 escolhidos.

A campanha entrega medalhas virtuais de acordo com a atuação e desempenho de quem posta. São diversas categorias, como ‘Salvei um Panda’, desbloqueada para quem convidar três ou mais amigos para o concurso; ‘Tá Famoso’, quando 10 ou mais pessoas curtirem a história; ‘Promessa Prata, Ouro ou Diamante‘, quando 5, 10 ou 15 (ou mais) histórias forem enviadas, respectivamente; e ‘Veterano‘, quando um testador de uma edição passada virar testador novamente.

A proposta da Prudence e da ação Testadores de Camisinhas vai ao encontro com a missão global da marca em promover o sexo seguro, de prevenção de DSTs e do incentivo ao planejamento familiar, sem deixar de lado a diversão.

Seja um dos Testadores de Camisinhas Prudence!

ProAC abre edital para iniciativas culturais com temática LGBT

Temática LGBT terá edital no ProAC

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo abre inscrições para o edital do ProAC que contempla projetos culturais com a temática LGBT. O documento está disponível no site da Secretaria da Cultura e vão selecionar 12 projetos. As inscrições vão até 17 de agosto.

As propostas devem contemplar atividades, eventos ou apresentações públicas que favoreçam a valorização, a preservação e difusão das manifestações culturais com temática LGBT.

Os projetos podem incluir publicação de livros, registro audiovisual, teatro, dança ou gravação de CD.

O concurso será dividido em dois módulos: no primeiro, serão contemplados seis projetos com incentivo de R$ 40 mil. No segundo, haverá seis prêmios de R$ 20 mil cada.

Os editais estabelecem que 50% dos projetos selecionados sejam de proponentes do interior, litoral e Grande São Paulo.

Ao se inscrever, o proponente que deseja inserir o seu projeto dentro da cota deverá comprovar atuação artística na região, assim como sua sede e residência por meio de comprovante de endereço cadastrado.

Todas essas informações devem ser declaradas no sistema digital.

Detalhamento do Edital com temática LGBT

CULTURA E CIDADANIA
Manifestações Culturais LGBT
Apoio projetos culturais com temática LGBT.
– 12 projetos divididos em dois módulos
Módulo 01: 6 projetos com prêmio de R$ 40 mil.
Módulo 02: 6 projetos com prêmio de R$ 20 mil.
– Inscrições até 17 de agosto.

Programa de Ação Cultural (ProAC), na modalidade editais, tem o objetivo de fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos, selecionados por meio de editais.

O ProAC Editais busca descentralizar o acesso da população à arte, estimulando a circulação de espetáculos e a produção em cidades do interior, litoral e da Grande São Paulo.

No total, serão disponibilizados 45 editais em 12 linguagens: teatro, dança, música, literatura, circo, artes cênicas para crianças, festivais de arte, audiovisual, museus, diversidade e artes visuais.

Para conhecer a programação cultural de todo o estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura.